Sobre a “modinha” de ser coach e palestrante

Sobre a “modinha” de ser coach e palestrante
Está bombando na internet um textão detonando palestrantes, mentores, coaches e assemelhados, dizendo, em resumo, que são “modinha”. Não vou colocar o link desse material aqui pra não contribuir com mais audiência pra ele, pelo menos não diretamente, até porque o autor desse texto, em seus perfis pessoais, assume abertamente, e com muita graça, que o fez como mera estratégia de marketing, uma “trollagem” consciente pra gerar tráfego pros seus negócios e ser convidado pra ser entrevistado e palestrante (paradoxo dos paradoxos!! Diz muito a respeito de qualquer iniciativa de difamação de outrem).

 

Apesar de ter sido largamente compartilhado, por se alinhar, de propósito, com complexos presentes no subconsciente de todos (inclusive eu) — a inveja é uma característica humana universal —, o texto, apesar de dentro dos conformes de uma boa escrita, é uma lástima de falácias e sofismas. O autor está plenamente consciente disso, mas quem o compartilhou não!

 

Não tem um parágrafo sequer que não possa ser refutado e confrontado com a realidade. Não farei isso porque renderia outro textão, e já fizeram um aí, neste sentido de apontar os erros de raciocínio, que está bombando também.

 

Prefiro contribuir com um pensamento mais sintético: pessoas, estar no palco da vida, não é, nunca foi e nunca será modinha. Quer modinha maior do que estar na plateia?